Pesquisar
Close this search box.

Economize até 35% na conta
de energia da sua empresa.

imagem

SIN ultrapassa a capacidade de 200 GW

Autor:
Assessoria Especial de Comunicação Social - MME

Fontes hídrica, eólica, biomassa e solar são protagonistas na geração renovável

O Brasil alcançou um marco histórico nesta quinta-feira (7/3). A capacidade instalada do Sistema Interligado Nacional (SIN) ultrapassou 200 gigawatts (GW). Em uma condição privilegiada no cenário mundial, o País possui 84,25% da geração a partir de fontes renováveis, sendo 55% provenientes de usinas hidrelétricas.

 “Essa é uma marca importante para o sistema elétrico e para o país. Nossa missão, à frente do Ministério de Minas e Energia é equilibrar segurança energética com a modicidade tarifária, beneficiando brasileiras e brasileiros. Com as fontes limpas e renováveis, estamos trazendo uma geração de energia de qualidade e sendo protagonistas na transição energética mundial”, afirma o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira.

Os 200 GW foram alcançados após a entrada em operação da usina fotovoltaica Boa Sorte I, em Paracatu, Minas Gerais. O empreendimento foi responsável por incrementar 44 megawatts (MW) de capacidade ao SIN.

De acordo com os dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), dos 200 GW alcançados, 84,25% são de fontes renováveis e 15,75% de fontes não renováveis (1% Nuclear). Atualmente as quatro maiores fontes renováveis que compõem a matriz de energia elétrica brasileira são hídrica (55%), Eólica (14,8%), Biomassa (8,4%) e fotovoltaica (6,28%). Entre as fontes não renováveis, as maiores são Gás Natural (9%), Petróleo (4%) e Carvão Mineral (1,75%). 

Neste ano, a Agência já liberou 2 GW para operação comercial. A previsão de crescimento da geração de energia elétrica do país para 2024 é de 10,1 GW. Este será o segundo maior avanço anual desde 1997, atrás apenas do crescimento de 10,3 GW em 2023.

 Micro e minigeração distribuída

Além da expansão da matriz elétrica brasileira centralizada, o Brasil também passa por um crescimento na oferta da micro e minigeração distribuída (MMGD). De acordo com os dados divulgados pela ANEEL, o Brasil conta com mais de 2,4 milhões de sistemas conectados à rede de distribuição de energia elétrica, com potência instalada superior a 27,7 GW. Mais de 3,5 milhões de unidades consumidoras utilizam os excedentes e os créditos da energia gerada nos sistemas instalados.

Em 2023 foram instalados mais de 625 mil sistemas fotovoltaicos de geração distribuída no Brasil, com o acréscimo de 837 mil unidades consumidoras que passaram a utilizar os excedentes e os créditos da energia gerada nos sistemas instalados.

A MMGD pode ser proveniente da microgeração, quando a energia produzida por um central geradora com potência instalada até 75 quilowatts (KW), ou da minigeração distribuída, com potência acima de 75 kW e menor ou igual a 3 MW (podendo ser até 5 MW em situações específicas.

LINK PARA MATÉRIA

Compartilhar no:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados

2 de abril de 2024