Pesquisar
Close this search box.

Economize até 35% na conta
de energia da sua empresa.

The end of the Paulista avenue, Sao Paulo, Brazil.  At this region the three of the largest avenues of city connect, generating a intense traffic.

Segundo semestre começa com avanço de 0,4% no consumo de energia elétrica, mostra CCEE

Autor:
CCEE

Calor nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste provocou crescimento no mercado das distribuidoras

O Brasil consumiu, em julho, 63.322 megawatts médios de energia elétrica, um leve aumento, de 0,4%, na comparação com o mesmo período do ano passado. Segundo dados preliminares do Boletim InfoMercado Quinzenal, da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE, o resultado foi puxado por uma carga maior de residências e pequenos comércios, influenciada pelo aumento das temperaturas nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, que levaram a um maior uso de aparelhos de ar-condicionado.

O ambiente regulado, em que os consumidores de menor porte contratam energia das distribuidoras, apresentou alta de 0,8% no comparativo anual. Já as indústrias e grandes empresas que negociam o insumo no mercado livre registraram queda de 0,4%, situação que reflete, principalmente, uma produção menor no ramo de fabricação de veículos.

Consumo por ramo de atividade econômica

Dos 15 ramos de atividade econômica monitorados pela CCEE, houve crescimento do consumo de energia em sete, com destaque para a extração de minerais metálicos (5,9%), alimentícios (3,2%) e bebidas (1,9%). Já as maiores reduções foram registradas nas indústrias de veículos (-6,8%), química (-6,6%) e têxteis (-4,9%). 

Para o segmento automotivo, especificamente, a paralisação de fábricas e a concessão de férias coletivas levaram a uma redução de 16% na produção, segundo dados da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores – Anfavea. A queda na demanda por energia seria ainda maior, mas foi amenizada pelo segmento de duas rodas. As subclasses relacionadas à fabricação de motocicletas registraram alta de 9,2% no consumo de eletricidade.

Consumo por região

Na comparação com o mesmo período do ano passado, a região Norte e boa parte do Nordeste, com dias mais quentes em julho, puxaram o consumo para cima, sobretudo no Maranhão (34,8%), no Amazonas (10,7%) e no Ceará (8,0%). O cenário inverso, de frio e maior volume de chuvas, derrubou as outras regiões. O Mato Grosso do Sul encerrou o mês com retração de 6,5% menor e o Rio de Janeiro teve queda de 3,9%.

Geração de energia

As usinas eólicas entregaram 19,7% mais energia elétrica ao Sistema Interligado Nacional – SIN no mês de julho, em relação ao mesmo período do ano passado. Os empreendimentos solares fotovoltaicos, por sua vez, registram expansão de 65,4%. A fonte hidráulica apresentou uma retração de 7,8%.

LINK PARA A MATÉRIA

Compartilhar no:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados

16 de junho de 2024