Norte de Minas receberá um dos maiores parques de energia solar do mundo

Será instalado em Janaúba, no Norte de Minas, o maior complexo solar das Américas. O empreendimento também será considerado um dos maiores do mundo e deve começar a ser construído ainda neste ano, com previsão de término até 2023. Inicialmente, devem ser gerados 600 postos de emprego diretos, e o investimento é de R$ 3 bilhões.

A produção de energia deve ser suficiente para abastecer 1,2 milhão de residências. O contrato entre a Solatio, desenvolvedora de projetos Solares, e a Brookfield Energia Renovável acaba de ser firmado, segundo Walter Fróes, que é consultor da Solatio e presidente da CMU, empresa parceira.

“É um mega parque, com uma capacidade instalada da ordem de 1200 megawatts. Isso é energia para abastecer 1,2 milhão de residências, aproximadamente. A construção deverá ser iniciada no segundo semestre deste ano e a energia começará a ser entregue no segundo semestre de 2022, completando toda a potência da usina no primeiro semestre 2023”, explica.

“Ela será injetada na rede básica. Claro que uma condição que você consiga construir um parque desses é que tenha disponibilidade para injetar energia no local”, detalha.

“Eu gostaria de abordar ainda que a Solatio está fazendo investimento em geração distribuída, que é outra modalidade, em que pretendemos entregar energia com desconto da ordem de 15% para residências e também para pequenos comércios, clínicas, consultórios, etc. Esse trabalho já começou. A partir de julho começaremos a abrir nossos plantas e, dentro de 12 meses, teremos um total de 60, 70 plantas prontas coisa objetivo. Isso significaria um investimento de mais R$ 1 bilhão em Minas”, completa.

Ouça o  áudio do Jornal da Itatiaia abaixo:

LINK PARA A MATÉRIA

Número de consumidores do mercado livre sobe 22,9% em 2020

Adesão mensal média foi de 143 novos consumidores, a maior média de migração desde 2016

O mercado livre fechou o primeiro semestre com 7.812 consumidores, alta de 22,9% na comparação com o mesmo período do ano passado. Segundo a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), resultado é reflexo principalmente do crescimento de 25% no número de consumidores especiais. O volume de consumidores livres também cresceu, cerca de 9%. Os cálculos já descontam os agentes desligados no período.

Com isso, a adesão mensal média foi de 143 novos consumidores, a maior média de migração desde 2016. Em 2019, a média foi 118 migrações por mês.

Somente em junho, o número de processos em andamento para adesão ao mercado livre cresceu 41% na comparação com o mesmo período do ano passado. No mês, foram registrados 1.049 processos de migração, sendo a maior parte de consumidores especiais, com 796 novos pedidos em análise.

Além dos consumidores, houve a adesão quatro novas comercializadoras e 17 usinas classificadas como produtores independentes de energia em junho.

Do total de consumidores que aderiram ao mercado livre em junho, 102 possuem carga de até 1 MW. Outros 22 possuem carga entre 1 MW e 1,99 MW e 11 adesões têm carga superior a 2 MW. O ramo de serviços foi o que registrou o maior percentual de adesões.

Ao final do mês, eram 23 os comercializadores varejistas habilitados para atuação. Outras 21 solicitações estão sob análise.

LINK PARA MATÉRIA