FOTO

ONS: Carga de outubro aponta para elevação de 1,3

Autor:
ONS

Reservatórios do Sul têm significativa melhora e devem terminar o próximo mês em 35,6%  

O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) prevê para outubro elevação de 1,3% na carga do Sistema Interligado Nacional (SIN), na comparação com o mesmo mês de 2020. As projeções levaram em consideração a permanência do setor industrial em modo de expansão e a recuperação do segmento de serviços. Segundo os dados do boletim do Programa Mensal de Operação (PMO), referente à semana de 25 de setembro a 1° de outubro, a previsão é de que a carga do SIN chegue a 72.113 MW médios em outubro. Dos quatro subsistemas, o destaque continua para o Nordeste que deve ter crescimento de 3,5% com 12.206 MW médios, seguido pela região Norte com 2,7% e 6.208 MW médios. Na sequência, o Sul apresenta crescimento de 1,6% com 12.058 MW médios, e o Sudeste/Centro-Oeste fica em 0,4% chegando a 41.641 MW médios.

O relatório aponta ainda para uma recuperação dos reservatórios do Sul que devem chegar ao fim de outubro com 35,6%, o que representa um incremento de quase 5%, ante os atuais 30,9% em que se encontram.  A estimativa é que os reservatórios do Sudeste/Centro-Oeste e do Nordeste terminem o mês atingindo 12,6% e 26,1%, respectivamente. Já os localizados na região Norte devem encerrar com 42,9% da capacidade. 

As previsões  de afluências apontam que,  na região Sul do País, a  Energia Natural Afluente (ENA) no mês de outubro fique próxima da média, em 93% da Média de Longo Termo (MLT).  As afluências poderão chegar a 65% da MLT no Norte, seguido pela região Sudeste/Centro-Oeste com 57% da MLT. O subsistema Nordeste deverá atingir 44% da MLT. 

Para a próxima semana operativa, o Custo Marginal de Operação (CMO) passa a ser de R$533,36/MWh em todos os quatro subsistemas. Com isso, as regiões Sudeste/Centro-Oeste, Sul e Norte, registram uma queda de cerca de 25,17%, em comparação aos R$712,80/MWh da semana anterior. Também em declínio, o Nordeste aponta para uma desaceleração de 25,13% em comparação aos R$712,40/MWh do período passado.

LINK PARA MATÉRIA

Compartilhar no:

Share on linkedin
Share on facebook
Share on whatsapp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *