FOTO 22

Itaipu atinge a marca de 2,8 bilhões de MWh

Autor:
Canal Energia

Total produzido pela binacional seria suficiente para abastecer o mundo por 45 dias

A hidrelétrica de Itaipu Binacional alcança nesta quinta-feira, 8 de julho, a marca de 2,8 bilhões de megawatts-hora (MWh), produção acumulada desde que a usina iniciou a geração de energia, em maio de 1984. Esse total produzido pela estatal seria suficiente para abastecer o mundo por 45 dias.

A nova marca da Itaipu, que responde por 11% do suprimento de eletricidade ao mercado brasileiro e 89% ao paraguaio, chega em um contexto de crise hídrica em que a usina tem procurado gerar com máxima eficiência. “Essa enorme quantidade de energia, com a disponibilidade de potência inclusive em horários de pico de consumo, é estratégica para promover o desenvolvimento do Brasil e do Paraguai”, disse em nota o diretor-geral brasileiro da Itaipu, general João Francisco Ferreira.

O militar também destaca o fato de que se aproxima a quitação da dívida contraída para a construção da Itaipu. As parcelas constituem um dos principais componentes do custo da energia produzida pela binacional. “Com a quitação, a partir de 2022, haverá redução da tarifa e Itaipu fornecerá energia a um preço cada vez mais competitivo”, acrescenta o diretor-geral.

A hidrelétrica segue como a que mais gerou eletricidade no mundo, à frente da usina chinesa de Três Gargantas, que tem capacidade instalada 60% maior (22,4 mil MW contra 14 mil MW da Itaipu).

Itaipu elevou a produtividade para garantir a disponibilidade de potência ao Brasil e Paraguai

Produtividade
A baixa vazão do Rio Paraná nos dois últimos anos levou a Itaipu a aperfeiçoar seu sistema de gestão dos ativos, buscando mais sinergia as áreas binacionais da diretoria técnica, visando otimizar as paradas preventivas de manutenção, o ponto de operação das unidades geradoras, as condições hidrológicas e o atendimento às demandas dos setores elétricos do Brasil e do Paraguai.

A Itaipu diz que tem feito um esforço para elevar a produtividade da usina e garantir a disponibilidade de potência em qualquer momento que os sistemas interligados brasileiro e paraguaio necessitem. Em junho, a binacional atingiu seu recorde mensal histórico, com 1,1174 MWméd/m³/s. A produtividade do primeiro semestre também foi a melhor já registrada para o período: 1,0926 MWméd/m³/s.

Outra estratégia importante para a Itaipu seguir gerando energia em grande quantidade está nas medidas voltadas à segurança hídrica. A faixa de proteção do reservatório, por exemplo, tem uma média de 210 metros de largura, mais do que o dobro do exigido por lei. Ao todo, a empresa preserva mais de 100 mil hectares de Mata Atlântica em ambas as margens, reconhecidos pela Unesco como zona núcleo da Biosfera, no programa O Homem e a Biosfera.

LINK PARA MATÉRIA

Compartilhar no:

Share on linkedin
Share on facebook
Share on whatsapp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *