Pesquisar
Close this search box.

Economize até 35% na conta
de energia da sua empresa.

Full year timeline template with all months on circle blue blocks. All months of the year on one infographic time line layout with photo in the middle

PL do Combustível do Futuro deve incluir biogás e biometano

Autor:
Pedro Aurélio Teixeira/ Canal Energia

Políticos apostam em PLs para fomentar energético no país

O biogás brasileiro deverá ganhar o apoio do parlamento na busca por melhores condições para expansão e competitividade. A aposta do setor é no Projeto de Lei do Combustível do Futuro, que tramita na Câmara do Deputados e tem como relator Arnaldo Jardim (Cidadania – SP). Durante painel na décima edição do Fórum do Biogás, na última semana, em São Paulo (SP), o deputado garantiu empenho na inclusão do energético no texto final a ser aprovado. “Vou trabalhar pela regulamentação do biogás e do biometano”, afirma.

A aposta é que um Plano Nacional de Biogás e Biometano seja inserido no PL e que incentivos regulatórios como corredores sustentáveis e mais participação do biometano no gás natural, além da certificação de origem. De acordo com a presidente da associação, Renata Isfer, a economia circular é forte no biogás, em que é possível usar o resíduo para abastecer unidades industriais. Há uma expectativa que ainda esse ano o PL seja votado na Câmara.

O deputado Julio Lopes (Progressistas -RJ) também vê um ambiente favorável na Câmara para a aprovação de uma série de projetos que contemplam a temática da transição energética. Segundo ele, há uma certa pressão por conta da chegada da Conferência do clima, o que aceleraria os encaminhamentos. Para Lopes, o país é um exemplo para o mundo por conta da sua diversidade. “Estou absolutamente comprometido com o biometano pela condição ordenadora que traz para a civilização”, admite.

O deputado Alceu Moreira (MDB- RS), presidente da Frente parlamentar do biodiesel, acredita que a nova matriz energética no Brasil será tão forte que mudará o fluxo das cidades e planos diretores. Segundo ele, antes a organização dos municípios estava ligada a questões de energia e estradas. Com a adoção da energia limpa, plantas da agroindústria poderão se instalar sem a rede, de modo autônoma. Ele conta que, no Rio Grande do Sul, o biometano poderá suprir toda a energia para a produção de frango e o excedente energético ainda poderá ser vendido.

‘A energia sustentável no Brasil é altamente rentável. Precisa de segurança jurídica e previsibilidade”, pontua. Antes do Combustível do Futuro, Moreira apresentou um PL na Câmara sobre biocombustíveis que contempla o biogás e o biometano. Na avaliação do parlamentar, a matriz deveria ser tratada de modo integrado e não de forma isolada, para que se retroalimentem. Ele alertou que o capital de investimento se dirige para o que está ‘na moda’ ou está vendendo mais e dá como exemplo os carros elétricos. Segundo ele, não há pesquisa no Brasil que mostre que os movidos a álcool apresentam um desempenho melhor. Com isso, apenas uma tecnologia já usada na Europa e não no Brasil deverá ser massificada comercialmente.

A necessidade do biogás e biometano fazerem parte de uma agenda de estado foi salientada pelo deputado Jorge Goetten (PL – SC), que também participou do painel. Ele é o relator de PL, que dispõe sobre diretrizes para a formulação da política industrial, tecnológica e de comércio exterior no país. Para Goetten, toda a transição energética deve ser tratada uma questão de Estado e não apenas de um governo. O parlamentar do Sul frisou que países da Europa criaram políticas públicas protecionistas com o auxílio do estado, o que deveria ser avaliado no Brasil.

LINK PARA MATÉRIA

Compartilhar no:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados

3 de julho de 2024