PLD SE/CO (R$/MWh) NORDESTE (R$/MWh) NORTE (R$/MWh) SUL (R$/MWh)
  • 245,00
  • 210,00
  • 175,00
  • 140,00
  • 105,00
  • 70,00
  • 35,00
  • 0,00
  • 07/03
    a 13/03
  • 14/03
    a 20/03
  • 21/03
    a 27/03
  • 28/03
    a 03/04
  • 04/04
    a 10/04
Histórico do PLD

Notícias | Pauta

Tarifa Branca passa a ser opção para todos os consumidores de baixa tensão

Daniela Muradas (03/01/2020)
A partir de 1º de janeiro de 2020 as unidades consumidoras conectadas em baixa tensão já podem aderir à Tarifa Branca como uma opção para redução nas contas de energia. A adesão não se aplica aos consumidores residenciais classificados como baixa renda, beneficiários de descontos previstos em Lei e à iluminação pública. 

Em 2018 a Tarifa Branca era permitida apenas para novas ligações e consumidores com média de consumo superior a 500 kWh/mês. Em janeiro de 2019, o patamar mínimo foi reduzido para 250 kWh/mês.

A nova modalidade tarifária permite ao consumidor cativo pagar valores diferentes em função da hora e do dia da semana em que consome energia elétrica.  Nos dias úteis, a Tarifa Branca possui valores diferenciados para os horários de ponta, intermediário e fora de ponta. Esses períodos são estabelecidos pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) para cada distribuidora de energia do país. Nos finais de semana e feriados nacionais, todas as horas do dia são consideradas fora de ponta.

A adoção da Tarifa Branca é recomendada para as unidades que possuem maior concentração do consumo nos períodos de menor carga do sistema de distribuição (horário fora de ponta), como pela manhã, início da tarde e de madrugada, quando as tarifas serão mais baixas. Já para os consumidores que utilizam mais energia no período de ponta da distribuidora (horário de pico), a alteração não é indicada, pois poderá representar aumento de despesas. Portanto, antes de optar pela Tarifa Branca, o consumidor deve analisar o seu perfil de consumo. 

A alteração da Tarifa Convencional para a Tarifa Branca deve ser formalizada para a distribuidora, que terá até 30 dias para efetivar a mudança. O retorno para a Tarifa Convencional poderá ser realizado a qualquer momento, e a distribuidora terá os mesmos 30 dias para efetivar a alteração. Após o retorno à Tarifa Convencional, uma nova adesão à Tarifa Branca somente será possível após o prazo de 180 dias.

A mudança representa uma sinalização positiva aos pequenos consumidores, que agora têm a possibilidade de gerenciar melhor seus custos com energia elétrica. Nosso desejo é que, em futuro breve, o acesso ao mercado livre seja estendido também a esses consumidores, oferecendo a eles ainda mais liberdade de escolha e possibilidade de redução de custos.

Quer saber mais sobre a Tarifa Branca? Acesse:
https://www.aneel.gov.br/tarifa-branca
Outros Artigos
CMU (14/10/2014)
© Copyright 2013
CMU | Av. Brasil, 1666/ 16 andar - Funcionários - Belo Horizonte - MG / (31) 3262.0722